CONTROLE INTERNO

LEGISLAÇÃO


ITIPREV

INFORMATIVO

Projeto autismo na escola é trabalhado na rede municipal de educação

A convite da Secretaria Municipal de Educação, Itiquira recebeu a Drª Érica Rezende Barbieri, psicóloga e mãe que luta pela inclusão escolar destinada à Pessoa com Transtorno do Espectro Autista (TEA). Ela visitou as Escolas Municipais Francisco Andrea Marchett, José Rodrigues da Silva, Anfilófio de Souza Campos e a Escola Estadual Dom Aquino Corrêa.

As palestras aconteceram na última sexta-feira, 20 de outubro, com o tema “Autismo na Escola”.

O Projeto tem por objetivo levar informações aos alunos e profissionais, sobre o que é o Transtorno do Espectro Autista -TEA para que eles saibam lidar com o colega que possui o transtorno, promovendo assim a inclusão de fato. “Quando recebemos as informações e orientações adequadas é possível ter a conscientização de tamanha importância da inclusão para a criança, seus familiares e sociedade no todo”, afirmou a Secretária de Educação, Jane Gobbi.

Os pais de alunos com o TEA também participaram, e tiveram a oportunidade de entender melhor o comportamento e lidar com a criança com mais segurança.

“Este movimento é fundamental para promover a inclusão, entender os comportamentos do portador do transtorno e assim poder estimular a amizade e o companheirismo entre os alunos, desde o início da vida escolar da criança, promovendo a solidariedade e a cidadania no cotidiano da criança. Vivemos um dia de muita aprendizagem e emoção, pois a Psicóloga Érica Rezende é mãe de dois filhos autistas, que através de sua história de vida, luta para melhorar a vida de outras famílias e nós da Secretaria de Educação de Itiquira nos aliamos a esta causa objetivando promover a cidadania”, finalizou a secretária.

Autismo ou Transtorno do Espectro Autista

 O autismo é um transtorno de desenvolvimento que geralmente aparece nos três primeiros anos de vida e compromete as habilidades de comunicação e interação social.

Causas

As causas do autismo ainda são desconhecidas, mas as pesquisas na área são cada vez mais intensas. Provavelmente, há uma combinação de fatores que levam ao autismo. Sabe-se que a genética e agentes externos desempenham um papel chave nas causas do transtorno. De acordo com a Associação Médica Americana, as chances de uma criança desenvolver autismo por causa da herança genética são de 50%, sendo que a outra metade dos casos pode corresponder a fatores exógenos, como o ambiente de criação. De qualquer maneira, muitos genes parecem estar envolvidos nas causas do autismo. Alguns tornam as crianças mais suscetíveis ao transtorno, outros afetam o desenvolvimento do cérebro e a comunicação entre os neurônios. Outros, ainda, determinam a gravidade dos sintomas.

Quanto aos fatores externos que possam contribuir para o surgimento do transtorno estão a poluição do ar, complicações durante a gravidez, infecções causadas por vírus, alterações no trato digestório, contaminação por mercúrio e sensibilidade a vacinas.


Todas as matérias podem ser reproduzidas, desde que citadas as fontes. As fotografias, além da fonte, devem ser creditadas com o nome do autor.